Juiz Odilon de Oliveira Juiz Odilon de Oliveira

É melhor correr o risco de salvar um homem culpado do que condenar um inocente.“

Odilon diz que liderança em pesquisa mostra que eleitor quer mudança

Para Odilon, liderança em pesquisa reflete desejo de mudança

20 de dezembro de 2017

 

O pré-candidato do PDT ao governo do estado, Juiz Odilon de Oliveira, atribui ao “desejo incontestável de mudança” demonstrado pelo eleitor o fato de liderar as pesquisas de opinião sobre as eleições em Mato Grosso do Sul.

“A gente sente isso conversando com as pessoas e observando as manifestações nas redes sociais.  O povo está mais politizado e analisa com muito cuidado o currículo de cada candidato. Ninguém suporta mais tanta corrupção, que traz dor, fome, desesperança e envergonha o país. É nítido o desejo da população de mudar completamente o cenário político de Mato Grosso do Sul e do Brasil. Quando consultado, o eleitor leva em consideração meu passado de combate aos mais diferentes tipos de crime, sempre com lisura, respeito à coisa pública, transparência e responsabilidade, e acaba optando pelo meu nome”, avalia Odilon.

Números – O último levantamento de intenção de voto feito pelo IPEMS aponta a vitória do pré-candidato do PDT na disputa pelo governo de Mato Grosso do Sul, seja qual for o cenário político nas próximas eleições. A pesquisa, divulgada terça-feira (19) pelo jornal Correio do Estado, indica que, se as eleições fossem hoje, o Juiz Odilon teria 32,50 % dos votos, contra 24,58 % do ex-governador André Puccinelli (PMDB), 23,17% do atual governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), 3,60 % do presidente da Caixa de Assistência aos Servidores (CASSEMS), Ricardo Ayache (PSB), 0,42 % do pré-candidato do PT, Humberto Amaducci e 0,22 % de Cláudio Sertão (PODEMOS). Nesse cenário, 11,64 % dos eleitores não votariam em nenhum desses nomes ou anulariam o voto e 3,88 não responderam ou se declararam indecisos. O IPEMS ouviu 2.285 eleitores com idade igual ou superior a 16 anos entre os dias 9 e 17 de dezembro, nos 79 municípios sul-mato-grossenses. A margem de erro é de 2,05 pontos percentuais para mais ou para menos.

No segundo cenário apresentado pelo IPEMS, onde o nome de André Puccinelli é substituído pelo do prefeito de Costa Rica, Waldeli Rosa, o Juiz Odilon cresce para 36,56%, Azambuja tem 32,37 % e Waldeli 4,83 %. Ricardo Ayache aparece com 3,83 %, Humberto Amaducci com 0,44 % e Cláudio Sertão 0,24%. Nesse caso, 13,34 % dos entrevistados declaram voto branco ou nulo e 8,9% estão indecisos.

A pesquisa aponta que, se o candidato do PMDB ao governo do estado for o atual presidente da Assembleia Legislativa, deputado Junior Mochi, o Juiz Odilon ganharia a eleição no primeiro turno. Neste cenário, ele receberia 44,9% dos votos, contra 5,25% de Mochi, 5,09 % de Ricardo Ayache, 0,52 de Amaducci e 0,26 de Cláudio Sertão.O IPEMS simulou o confronto direto do pré-candidato do PDT com André e Azambuja. Na disputa com Puccinelli, Odilon seria o vencedor com 39,58 % dos votos, contra 32,40 % do ex-governador peemedebista. Enfrentando somente Reinaldo Azambuja (PSDB), o juiz teria a preferência de 39,37 % dos entrevistados, enquanto o tucano ficaria com 35,26%.

Rejeição – De acordo com o IPEMS, o Juiz Odilon é o candidato com menor índice de rejeição entre os quatro primeiros colocados na pesquisa. Do total de eleitores consultados, apenas 9,84 % afirmam que não votariam nele. O percentual de Ricardo Ayache é de 11,40 %, enquanto o de Reinaldo Azambuja chega a 45,48%. André Puccinelli é o mais rejeitado pelos eleitores. O levantamento mostra que 51,65% dos pesquisados não votariam no ex-governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*