Juiz Odilon de Oliveira Juiz Odilon de Oliveira

É melhor correr o risco de salvar um homem culpado do que condenar um inocente.“

Pré-candidato Odilon com os professores da UEMS

Professores discutem com Odilon melhorias para a UEMS

1 de dezembro de 2017

O pré-candidato do PDT ao governo do estado, Odilon de Oliveira, recebeu em Campo Grande a visita de uma comissão de professores da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), para debater a situação da instituição e discutir medidas que permitam fortalecê-la.

“Meu partido, o PDT, dá prioridade absoluta à educação e eu, pessoalmente, até pela minha própria história de vida, não tenho a menor dúvida de que somente através da educação vamos transformar Mato Grosso do Sul em um estado socialmente justo e economicamente desenvolvido, com oportunidades para todos. Por isso, podem ficar tranquilos, porque fortalecer a UEMS é um dos meus objetivos. Conto com as sugestões de vocês para que possamos construir, juntos, meu plano de governo. Meu compromisso é com o ensino público, gratuito e de qualidade”, afirmou Odilon.

A comissão, formada pelos professores Marlon Leal (diretor, em Campo Grande,  da Associação dos Docentes da UEMS), Antônio Carlos Santana (coordenador de curso lato sensu) e Maria Nazareth (do Curso de Letras), disse ao pré-candidato que o orçamento da UEMS para este ano foi fixado em R$ 207 milhões, quando seriam necessários no mínimo R$ 251 milhões para dar continuidade aos serviços prestados pela instituição.

“Essa redução do orçamento é o nosso maior problema, porque afeta diretamente as atividades desenvolvidas por alunos e professores”, explicou Marlon. “A preocupação é que os cortes orçamentários acabem levando ao estrangulamento da UEMS, como aconteceu com a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), que passa pela maior crise de sua história”, ponderou o dirigente da ADUEMS. Os professores querem também a autonomia financeira e administrativa da instituição.

A UEMS oferece atualmente 66 graduações, 22 cursos de especialização, 14 mestrados e 2 doutorados. A universidade tem aproximadamente 10 mil alunos e possui campus em 15 municípios. De acordo com os professores, 80 % dos acadêmicos da instituição são de baixa renda.

“Vamos trabalhar no sentido de garantir que a UEMS volte a contar com pelo menos 3% do Orçamento do estado, como já aconteceu no passado. Com isso a questão financeira fica resolvida e a universidade pode, inclusive, se expandir, ampliando suas atividades para o bem de Mato Grosso do Sul”, afirmou Odilon.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*